A Esperança da Caixa de Pandora

Apesar de todo o caos ela existe!

Os anos que a gente leva…

with 14 comments

Eu levei anos para curar um amor mal resolvido. Eu levei anos para entender que não se podia chorar por algo que nunca havia sido meu. Meu, assim, aquele meu de pertencer os sentidos, preencher os olhos e as falas, toda aquela conjunção cósmica de pele, sabores e amores sacrificantes. Tudo foi uma questão de perda sem ter havido soma.

Eu levei anos para entender que isso não era amor, era uma obsessão escandalosa e meretriz, que se vendia barato por qualquer afeto simples e corriqueiro. E que sem pudor se arrastava pelos cantos com olhos observantes e paranoicos evidenciando toda a tristeza do descaso para o próprio self.

Eu levei anos para acreditar que ele não me servia porque apesar de tudo eu achava que ele era perfeito e toda vez que eu olhava seus olhos queria acreditar que deveria ter para sempre aquelas promessas fúteis, aqueles apelos piegas, aquelas declarações tão insensatas na disparidade do tempo remoto.

Eu levei anos para superar a dor, a amargura, o rancor e a frieza de ter sido trocada por outra. Mais uma vez. Mais de uma vez. E mesmo com isso explícito, inexplicavelmente eu acumulava feridas a cada perdão mal perdoado, disfarçado, uma sacanagem metafórica com meu emocional.

Eu levei anos para esquecer o tanto que perdi e me recolhi pelas calçadas da vida na tentativa de entender porque me deixei ser enganada, insegura e insensata. Abusei de mim mesma com uma arrogância ingênua e burra.

Os anos que a gente leva para se olhar com olhos isentos e imparciais são cobrados em cicatrizes, lágrimas e memórias em branco e preto. Porque às vezes nos deixamos ficar mais distante que o necessário e quando voltamos não passamos de farrapos desumanos.

Mas eu curei, entendi, acreditei, superei e esqueci. Hoje são apenas fragmentos na memória de alguns anos que levei para estar aqui com minha consciência plena e feliz!

Anúncios

Written by Babi Arruda

21/03/2012 às 10:08

14 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Nada como exteriorizar esses momentos de nossas vidas onde erramos, sofremos, superamos e aprendemos. Particularidades como essa, quando eu escrevo, percebo que é algo já superado e digerido por mim, realmente as vezes levam anos, mas quando passa, serve de aprendizado e fortalecimento. Feliz por estar no seu blog novamente…Adorei #meau!

    • O retorno do filho pródigo kkkkkkkkk

      Muito feliz em te ver aqui de novo #meau 😉

      PS.: Pode levar anos, mas um dia vai embora com toda a certeza desse mundo!

      Beijão

      Babi Arruda

      21/03/2012 at 10:38

  2. O lance não é esquecer, mas digerir.
    Perfeito como sempre, tia!

    Flah Queiroz

    21/03/2012 at 12:04

    • Minha digestão sempre foi muito lenta 😉

      Obrigada sobrinha!

      Bjsss

      Babi Arruda

      21/03/2012 at 13:21

  3. “era uma obsessão escandalosa e meretriz”…
    Por diversas vezes procurei essas palavras, pra explicar tantos anos de minha vida. Mas assumo, eu era o objeto de obsessão. E não me sentia nada bem. Pagava o relacionamento com sorrisos levianos, com toques despretenciosos, com falta de vontade.
    Te mostro que o outro lado também desperdiça anos. E aprende.
    Hoje não vivo assim, não aceito estar numa relação dessa. E você, me deu as palavras que teimavam em vir para mim.

    Beijo Babi! 😛

    Cláudio Marques

    21/03/2012 at 15:19

    • Os dois lados da moeda, meu caro 😉

      Obrigada pela visita ^.^

      Beijão

      Babi Arruda

      21/03/2012 at 15:25

  4. Você tem o direito de levar anos pra aprender, só não pode levar anos esquecendo o que aprendeu e insistindo nos mesmos erros de antes.

    besos,
    @paraquenomes

    André Salviano

    21/03/2012 at 18:13

    • Isso com certeza meu caro 🙂

      Muito obrigada pela visita. É uma honra!

      Beijão

      Babi Arruda

      22/03/2012 at 09:46

  5. Bom dia flor! Vc como sempre consegue se expressar muito bem, com muita eloquência (adoro essa palavra..rs). Quem de nós, independente do tempo, não passou por momentos de obsessão ?? Dificilmente alguém vá dizer que não. Mas o importante é o momento em que conseguimos distingui-lo, a partir daí é lidar com o aprendizado. Seja bem vinda ao mundo da lucidez insana..rs. Bjs e um ótimo fim de semana.
    P.S. estou no aguardo da próxima..rs

    Andréa Ng

    23/03/2012 at 11:21

  6. “Só a glória do tempo para acalmar os reis em conflito”. (Shakespeare)

    Guilherme Antunes

    04/04/2012 at 00:28

  7. Me identifiquei mt!
    Será que todo mundo tem mesmo que passar por isso?
    Nem sempre dá pra engolir essa sensação na tentativa de esconder…

    Máry'A

    12/04/2012 at 20:18

    • Por isso que o tempo é sempre o melhor remédio, apesar de ser uma frase piegas 😉

      Beijão

      Babi Arruda

      18/05/2012 at 13:27

  8. O coração tb é reciclável! É o mesmo com novas formas!

    Dália St. London

    04/05/2012 at 15:59

    • Sim Dália, totalmente reciclável. Só preciso de tempo para transformar tudo 😉

      Beijão

      Babi Arruda

      18/05/2012 at 13:30


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: