A Esperança da Caixa de Pandora

Apesar de todo o caos ela existe!

Síndrome de Gabriela

with 13 comments

Há muito tempo abordo assuntos que falam sobre estagnação e transmutação. Realmente acredito que a inércia é o principal fator para que não haja a transformação dos pensamentos, das atitudes e dos conceitos morais. Triste, porém uma realidade que está no dia-a-dia: a falta de iniciativa para mudanças!

É fácil dizer que precisa alcançar determinados objetivos, o difícil é fazer as mudanças necessárias para que as coisas caminhem conforme o almejado. Essa visão limitada do ser humano parece ter tomado proporções mundiais como se fosse uma doença, uma epidemia.

Poderíamos então classificá-la como a Síndrome de Gabriela: eu nasci assim, eu cresci assim e vou ser sempre assim. Que coisa mais maçante, mais pedante e broxante. Uma atrofia cerebral declarada e festejada. Nada pior que o auto-conformismo.

Admitir que nada pode mudar é a mesma coisa que afirmar que não existe evolução. Não podemos ficar presos a velhos conceitos porque é mais cômodo permanecer na mesmice, porque dá preguiça pensar ou porque é inseguro demais para enfrentar as coisas por novas perspectivas e expectativas.

Enxergar outros ângulos, ver com outros olhos determinadas questões é extremamente saudável, essencial para nossa vida. Não estamos aqui neste mundo para permanecermos estagnados. Movimento constante é o sentindo de nossa existência, um caminho para o aperfeiçoamento, um desafio que transforma o comum em excepcional. O primor pela excelência!

Devemos sempre lembrar que a vida é feita de escolhas, por isso, temos que ser conscientes e agir com sabedoria e prudência. Certos passos não podem ser alterados depois de caminhados e as consequências de nossas decisões baterão a nossa porta inevitavelmente.

O livre arbítrio é o que faz do ser humano um ser altamente complexo, contraditório, mas ao mesmo tempo fascinante. Aceitar a inflexibilidade das ações não leva a lugar nenhum. É desculpa esfarrapada, uma muleta para nossa ignorância.

Muitas vezes reclamamos que certas coisas não seguem o curso que deveriam. Mas já pararam para pensar o por quê disso? Talvez a resposta esteja na falta de receptividade para novas ideias. Reciclar pensamentos também é preciso, afinal, se isso não fosse importante ainda estaríamos fabricando utensílios de pedra lascada.

Devemos nos curar dessa Síndrome de Gabriela e andar visando o desenvolvimento através da transmutação. Não podemos confundir visionarismo com ilusão ou com tolice. Os pés têm que estar fincados ao chão para projetar o eu consciente e promissor no futuro.

Se você nasceu assim, a culpa não é sua, afinal você nasceu assim. Quiçá a culpa seja do destino. Se você cresceu assim, talvez a culpa seja dos seus pais e educadores que não te deram subsídios suficientes para exercitar a mente e ampliar sua visão. Mas se você afirmar que vai ser sempre assim, a culpa é sua que prefere ser um retrocesso na evolução da espécie.

Anúncios

Written by Babi Arruda

19/04/2011 às 14:04

13 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Simplesmente disse tudo … no quesito evolução. Adorei o texto.. SUA LINDONA 😉

    @Animadissima

    19/04/2011 at 16:54

    • Evolução é difícil. Exige esforço. Obrigada sua linda =*

      Babi Arruda

      22/04/2011 at 21:37

  2. E nem as utopias devem ser consideradas tolices, embora existam tentativas para se desqualificar justamente os visionários e utópicos com coisas do tipo “isso não vai dar certo” ou “isso é ultrapassado, sai dessa”.

    Na verdade o ato de mudar requer coragem. Coragem para sair do lugar-comum, do comodismo e da rotina. Não que certa rotina seja necessariamente ruim e, querendo ou não, estamos atrelados a uma; e nem precisa tanto: uma simples mudança de ideias já pode ser um começo.

    “Se você cresceu assim, talvez a culpa seja dos seus pais e educadores que não te deram subsídios suficientes para exercitar a mente e ampliar sua visão.” É que existe um condicionamento ao longo dos anos que é realmente difícil de ser quebrado. Às vezes somente com terapia para resolver. Ou ao menos minimizar.

    E se nada ajudar, ainda resta seguir o conselho do “Mestre dos Magos” no Facebook: “Não deixe que nada te desanime, pois até um pé-na-bunda te empurra prá frente.” kkkkkkk

    Bj! :*

    Jaime Guimarães

    19/04/2011 at 16:56

    • Coragem. Algo tão raro.

      Adorei o conselho do Mestre dos Magos. Ele sim é um sábio kkkkk

      Beijos querido

      Babi Arruda

      22/04/2011 at 21:38

  3. É tão complicado mudar. Mas eu sou do time que curte mudanças, e deixo aqui uma das minhas frases preferidas de Chico: “As pessoas têm medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem”

    Simples assim. Beijo! =]

    Rita

    20/04/2011 at 18:38

    • Essa frase de Chico é uma das coisas mais veradeiras que existe e devia ser adotada por todos.

      Eu curto mudanças, mesmo que eu demore para me movimentar. Mas movimento.

      Beijão flor =*

      Babi Arruda

      22/04/2011 at 21:39

  4. Fico sem palavras diante de seu Blog! Ótimos textos, parabéns! Aqui tem uma energia muito boa, tenho certeza que me tornarei uma freqüentadora assídua! Beijos.

    Rafaela

    21/04/2011 at 20:06

    • Eu que fico sem palavras diante de tamanho elogio. A energia está em que lê, portanto, muito obrigada por colocar essa vibração positiva no meu blog =)

      Muito obrigada pela sua visita e fique a vontade, a Caixa é sua 😉

      Beijos

      Babi Arruda

      22/04/2011 at 21:41

  5. o movimento não é oposição a permanência… é apenas contrário e nos contrários descansa a harmonia…

    bjos e boa semana

    Susana Martins

    22/04/2011 at 21:25

    • Muitas vezes nenhum movimento também é um movimento. Tudo está na perspectiva de quem vê.

      Muito honrada pela visita.

      Beijão

      Babi Arruda

      22/04/2011 at 21:43

  6. Que texto bem escrito. Letras fascinantes!

    Adorei o teu blog, voltarei sempre.

    Beijos, moça. =)

    Ricardo Novais

    23/04/2011 at 22:31

  7. Babi, escreves muito bem. Gosto bastante de teus textos. Apesar de introspectivos, e por isso bastante pessoais, eles são comuns a todos nós.
    Mas quanto a esse texto em especial, é o que chamo de zona de conforto. E para sair de uma, conforme minha experiência, só através de duas coisas. Ou uma decepção muito grande, ou uma paixão muito forte.
    Do contrário as pessoas resilienciam-se em um trono de cortejo.

    Zucco

    11/05/2011 at 13:05

    • Eu sou instrospectiva apesar da minha persona ser extrovertida 😉

      Se você parar e analisar, todos os textos em blogs são pessoais. Não existe imparcialidade no ser humano e quando vamos falar de determinado assunto colocamos nossa opinião nas palavras.

      Tenho um texto que fala sobre zona de conforto e para sair dela precisamos ter uma força de vontade muito grande.

      Mais uma vez obrigada pela visita =)

      Babi Arruda

      12/05/2011 at 11:21


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: