A Esperança da Caixa de Pandora

Apesar de todo o caos ela existe!

À espera

with 17 comments

E ela era do tipo de moça que ficava ali à espera na janela, à espera de seus sonhos, à espera de sua vida. À espera talvez de um sorriso, um gesto ou então um acaso. E por infinitas coisas esperou no vão da consciência. Esperou a espera de uma mudança. No fundo ela sabia que a espera não seria produtiva, mas geniosa continuou na espera só por teimosia. Mas isso machuca a alma e cansa as perspectivas.

Escolhas. Ela não gostava de falar sobre isso, por isso preferia ver as outras pessoas passando em sua janela com suas histórias. Mas na verdade ela fazia escolhas. Escolhas equivocadas. E lamentava depois. Lamentava também porque aquele moço com seu violão do outro lado da rua nunca tinha reparado nela. Nenhuma canção em sua homenagem se quer.

E ficava ali sonhando à espera de uma canção, imaginando juras de amor, poesias cantadas e uma prosa que pudesse encantá-la. E como amou sozinha. E como sonhou debruçada a janela. Mas aquele moço nunca olhou para ela. Não do jeito que devia. Não do jeito que queria. Não como ela merecia.

Mas ela sabia que assim seria. Cumprimentos cordiais, acenos ao largo e uma euforia de ocasião. Nenhuma novidade, nenhum requinte ou sofisticação de relacionamento. Apenas aqueles singelos momentos onde ele tocava suas canções e ela apreciava os acordes, imaginando talvez ser uma das personagens ali por seus dedos dedilhados.

Era gostoso imaginar que ali diante de sua vida monótona podia ser quem ela quisesse, negar a realidade e se enganar com eufemismos de vaidade. Uma pequena adição de charme as suas utopias requintadas. E o moço do violão que sofria de desilusão foi mais uma ilusão que construiu no seu enredo. Apenas mais um apego.

Assim a vida passava diante de seus olhos, que com o tempo foram entristecendo a medida que foi percebendo que seus sonhos nunca deixariam de ser sonhos. E assim debruçada na janela via seu amor tocar e a vida passar, escapando por entre os dedos todos os sintomas de felicidade. Todos os princípios de sanidade.

E de quem era a culpa afinal? Da moça da janela? Do moço do violão? Do destino? Dos sonhos mitificados ou das ilusões cultivadas? De todos, inclusive do espelho. Mas é melhor não pensar nisso. É muito desgastante, é muito visceral pensar. Sentir é estar mais perto dos sonhos. Sentir pulsa. E assim ficaram parados, ela na janela e ele do outro lado da rua a tocar, olhando por entre os espaços do dizer e o calar, entre o ser e o estar, entre a vida e o sonhar.

Anúncios

Written by Babi Arruda

17/03/2011 às 10:21

17 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Muito lindo o seu texto …. 😉

    Carla Cavalcante

    17/03/2011 at 10:47

  2. Tantos já amei assim. Tantos já não me notaram dessa forma.
    Muito amei sozinha, muito chorei em ombros errados, esperando que aquele fosse o certo.
    Chama-se viver de amor. Quem ama demais passa a vida toda esperando por canções em sua homenagem, declarações e juras inesperadas.
    Ser romântica assim sempre foi difícil pra conviver comigo mesmo. Imagino que pra ti também.

    É Babi. Nossa historia dá uns 3 livros. E uma novela. Mexicana.

    @amanda_arm

    17/03/2011 at 10:52

    • O que eu vou te responder?! Sintonia. Amor. Coincidências do cotidiano. Ainda vamos colocar essa nossa relação no real amiga virtual querida por demais ^.^

      Bruxinha =P

      Babi Arruda

      17/03/2011 at 14:42

  3. Nossa #meau, adorei. Manda muito bem escrevendo prosas. Está muito bom mesmo!

    Thiago Peixoto

    17/03/2011 at 13:26

    • É #meau…vc é poesia e eu sou prosa kkkkk

      Obrigada =)

      Babi Arruda

      17/03/2011 at 14:44

  4. Uma bela prosa, sem dúvida!

    Uma idealização do amor? Talvez. Na verdade amores idealizados são um tanto problemáticos, mas o que seria do amor se não fosse assim ao menos em alguns momentos?

    Se não é possível a concretização ( é preciso movimento), ao menos rende boas obras…e boas prosas! 😉

    Jaime Guimarães

    17/03/2011 at 14:24

  5. Lindo texto. Algo que poderia parecer triste ou piegas demais você consegui traduzir de forma belissíma. Excelente.

    Michel

    17/03/2011 at 14:27

    • Fico mto feliz que vc tenha gostado, que vc tenha passado por aqui. Obrigada por dizer q não sou piegas kkkkk

      Beijão =*

      Babi Arruda

      17/03/2011 at 14:45

  6. Muito bom Babi! Como sempre, aliás.
    O sonhar é vitalmente necessário, no entanto é necessário o atrevimento e a ousadia para se conseguir algo.
    Ela não é a única que sonha, quer e espera, mas que não toma a atitude necessária para que de fato aconteça. As pessoas hoje fazem isso. E isso acontece por medo de se envolverem, de arrependimento, de sofrimento.
    É o que eu chamei de relacionamentos gatos num post que escrevi.
    Mas concordo com o povo aqui, conseguiste escrever de forma magnífica.
    🙂

    Zucco

    18/03/2011 at 18:56

    • Ohhh meu querido, muito obrigada viu. Realmente fico muito feliz que vc tenha gostado tanto. Vou procurar me dedicar mais a prosa que é a minha verdadeira paixão 😉

      Agora me conta, o que é um relacionamento gato?! rsss

      Beijos

      Babi Arruda

      22/03/2011 at 10:44

  7. Olá, Babi. Parabéns, texto belíssimo. Bem literário. Adorei. Um conjunto de prosas/crônicas como essas dariam um livro notável. Já pensou nisso? Publicar um livro com as suas melhores crônicas? Um exemplar seria meu, kkkkkkkk.
    Beijos.

    Cleber

    21/03/2011 at 11:45

    • Olha, sei não, não sei se tenho cacife para escrever um livro de prosa. Acho que precisaria comer muito arroz com feijão ainda kkkkkk

      Mas fico feliz que tenha gostado. Volte sempre por aqui ^.^

      Beijos

      PS.: Se um dia fizer um livro o segundo exemplar é seu kkkkk – O primeiro vai ser da minha mãe =P

      Babi Arruda

      22/03/2011 at 10:48

  8. Texto encantador. Gosto muito de passar por aqui..sempre =]

    Rita de Holanda

    22/03/2011 at 09:50

    • Obrigada flor. Então fique a vontade…passe quando quiser ^.^

      Bjs

      Babi Arruda

      22/03/2011 at 10:48

  9. Que saudade estava de passar por aqui em Babi

    mais um belo texto….. como sempre

    Beijus

    Edy

    04/04/2011 at 22:35

    • Ohhh querido…estava sumido daqui ^.^

      Muito bom ter vc por aqui. Muito obrigada pelo carinho!!!

      Beijos

      Babi Arruda

      07/04/2011 at 22:20


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: