A Esperança da Caixa de Pandora

Apesar de todo o caos ela existe!

Covardia: o diabo de chifre e rabo

with 6 comments

Ei você! Sim, você mesmo escondida entre o medo e a inércia. Pensou que eu tivesse te esquecido? Pois saiba que não! Você está mais viva do que nunca na minha memória. Sabe por quê? Porque você é um atraso de vida, energia estagnada, uma rota de fuga para a estrada da frustração.

Você não me pertence! Eu não quero você por aí, me rondando feito cachorro sem dono. Quero você longe de mim. Oras, você não me traz vantagem ou crescimento pessoal algum. Muito pelo contrário! Todas as vezes que as coisas não andaram como deveriam andar a culpa foi do seu dedinho podre.

Sim, sua bendita insistência em querer aparecer na minha vida. Eu sou uma pessoa decidida, dedicada e pró-ativa. Procuro resolver cada pequeno detalhe do cotidiano, tentando encontrar soluções para as dificuldades tanto a médio como a longo prazo.

Mas não adianta eu te afastar de mim. Sempre tem um Zé Mané que faz parte da minha vida que insiste em te colocar no meu caminho. Ele atrasa o lado dele e de quebra atrasa o meu. Isso não é possível. Haja paciência para te suportar.

Falando francamente, eu não sei se suporto mais olhar para você aí encolhida no cantinho da sala, mirradinha, inepta, chorosa e medrosa. Cruz credo, nunca vi tanta insegurança. Por favor, pegue o caminho da roça e volte para o seu dono.

Ah não quer? Para isso você é corajosa?! Não tem medo? Não adianta se instalar feito um poceiro em meu coração (com sua licença Chico), pois não há espaço para você nele senhora COVARDIA. Eu não te quero! Não te suporto! Não te carrego comigo nem muerta!

Sabe, me dá nervoso ver as pessoas carregando você para cima e para baixo. É impressionante como elas não percebem a polaridade negativa que você atrai. Com você por perto, nada é resolvido ou decidido, nem mesmo as pequenas coisas do cotidiano, quiçá as decisões mais importantes da vida. Você é uma fugitiva inveterada!

E o pior é que a sua interferência não prejudica somente quem te carrega, mas também as pessoas que estão participando ativa ou passivamente da situação específica. Você com essa carinha de choro não tem pena de ninguém. Quem não te conhece que te compre. Tens cara de santa, mas é o diabo de chifre e rabo!

Você não abdica de nada, pois não consegue decidir entre uma coisa e outra. Não pratica a lei do abandono, tem uma necessidade insaciável de se apegar a tudo. Isso é medo de responsabilidade!

Por isso minha querida, pode colocar o rabinho entre as pernas e dar o fora daqui. Eu quero o melhor para mim. Quero ser feliz e decidir cada passo da minha vida sem arrependimentos, remorsos, frustrações e principalmente, sem o famoso “se eu tivesse feito isso, se eu tivesse feito aquilo”. Eu quero poder olhar o meu destino de frente e ter a coragem de dizer: eu fiz uma escolha!

Anúncios

Written by Babi Arruda

11/03/2011 às 14:46

6 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Primeiro, é preciso coragem para admitir a covardia. Há quem não a admita, a covardia, jamais: prefere se esconder em uma espécie de máscara que irradia coragem e confiança, mas na verdade não existe nem uma, nem outra.

    E como bem escreveu um filósofo ( cujo nome vou ficar devendo, desculpe), coragem está no desejo e na ação. Desejo de mandar a covardia colocar o rabinho entre as pernas e procurar um outro canto para se instalar e ação para finalmente fazer a escolha.

    Um abraço!

    PS: Vale um RT, claro! rsrsrs 🙂

    Jaime Guimarães

    11/03/2011 at 15:53

    • Coragem…algo raro nos dias de hoje. Todos nós somos covardes em alguma instância 😉

      Beijos e obrigada pelo RT kkkkkk

      Babi Arruda

      17/03/2011 at 13:50

  2. Babi,

    Mas quem nunca sentiu medo do armário aberto, da montanha russa ou de animais selvagens?! Aquele sentimento de impotência que te trava as pernas, faz tremer o teu corpo e embrulha o teu estômago?! É fácil ler e escrever a respeito, mas somente quem realmente sentiu o medo, a covardia de poder se rebelar, de poder reagir aquela determinada situação sabe muito bem do que estou falando. Devemos entender que isso faz parte do que somos, como também a coragem, a inteligência e o amor e temos que aprender a conviver com as nossas limitações, mesmo que, bem lá no fundo dos nossos corações, gostaríamos de manter esse sentimento bem longe de cada um de nós.

    Beijos e parabéns!!!

    Fernando Lins

    14/03/2011 at 07:25

    • É uma contradição, mas precisamos do medo para ter coragem 😉

      Obrigada amigo. Beijão!

      Babi Arruda

      17/03/2011 at 14:35

  3. Babi, gostei do jeito que você escreve. Me lembra um pouco a psicanálise…a maneira como você abordou alguns assuntos, a leveza, a forma direta. De verdade, voltarei aqui. E vou indicar seu blog lá no meu. Um beijo grande!!!

    Rita de Holanda

    14/03/2011 at 14:55

    • Obrigada flor, fico mto feliz que tenha gostado. Volte sempre, a Caixa é sua ^.^

      Beijocas

      Babi Arruda

      17/03/2011 at 14:36


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: