A Esperança da Caixa de Pandora

Apesar de todo o caos ela existe!

O superficial é dispensável

with 6 comments

Somos colocados em contato com uma gama gigantesca de informações todos os dias. Vivemos num conglomerado de ideias, ações e reações tudo junto, misturado e ao mesmo tempo. Talvez por esse excesso de cenários e situações acabamos atribuindo importância para coisas que não merecem nossa atenção.

Basicamente não sabemos diferenciar o necessário daquilo que realmente não nos fará falta. Não temos a consciência de que o superficial é dispensável e por isso, acumulamos uma série de problemas e pessoas inúteis em nossa vida.

Nada pior que sofrer por algo ou alguém que não traz o mínimo resultado positivo, que simplesmente não agrega valor na equação dos acontecimentos de nossa felicidade. Tudo deveria ser medido desta forma porque se faz necessário ser feliz e muitas vezes bloqueamos este estado por achar que precisamos de fórmulas complicadas para viver.

É muito simples. Nós é que nos sabotamos com ideias imprecisas de nós mesmos, das pessoas e das coisas a nossa volta. Vivemos numa ilusão romanceada como numa comédia romântica inglesa. Isso para os sonhadores despretensiosos, mas também isto é válido aos adeptos do romance novelístico tupiniquim.

A partir do momento que fizermos um balanço em nosso mundinho particular, separar o essencial, o primordial, o necessário do que é superficial tenho certeza que metade das neuroses do inconsciente desaparecerão e deixarão milhares de psicólogos desempregados.

Possuímos uma prepotência ingênua de achar que tudo que está em nosso perímetro de ação é significativo. Pois fiquem sabendo que não é! Trazemos na bagagem as situações mais esdrúxulas por acreditar que é nosso dever.

O dever começa consigo mesmo, se olhando no espelho e perguntando sinceramente o que aquela imagem refletida precisa ou deseja. Não há nada de errado nisso. O individualismo é importante para a sobrevivência da espécie e não pode ser confundido com egoísmo.

A porção eu deve ser valorizada e evidenciada porque precisamos nos sentir bem e é muito justo que façamos algo por nós, porém alguma coisa que não agrida, mas sim contribua para o bem estar. Só estaremos dispostos e saudáveis para ser essencial para alguém quando primeiro formos primordiais para nós mesmos.

Portanto, aquilo que subtrai e divide tem que ser eliminado, pois é supérfluo e serve apenas de obstáculo para nossa liberdade. E ser livre é uma condição necessária para conscientização de indivíduo responsável pela sua própria felicidade. Ela não depende de ninguém, apenas da sua escolha.

Anúncios

Written by Babi Arruda

11/01/2011 às 15:33

6 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Muito Bom Babi, concordo plenamente. Tenho uma amiga que sempre diz: a felicidade é um estado de espírito, não uma meta, ou uma ambição. Realmente só depende da nossa escolha.

    Thiago Peixoto

    11/01/2011 at 17:01

    • O bem viver depende da nossa escolha #meau. Mesmo que a priori não conseguimos atingir o ponto ideal, o importante é tentar, perserverar e caminhar rumo a evolução. A questão é que as pessoas hoje em dia querem tudo de mão beijada, tudo pronto caindo no colo. As conquistas dependem de nossos esforços 😉

      Beijão!

      Babi Arruda

      13/01/2011 at 08:01

  2. “Quando me amei de verdade, comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável, pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início, minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que se chama amor-próprio.”
    (Charles Chaplin)

    • Adorei a citação Van…é isso mesmo. Não tenho nem o que complementar!

      Beijos

      Babi Arruda

      13/01/2011 at 08:02

  3. Muito bom o texto SUA LINDA e concordo que para sermos felizes precisamos estar livres, descobrir o que realmente precisamos … e excluir pessoas e coisas que não acrescentam nada de bom em nossas vidas! Como o Thiago disse felicidade é um estado de espírito .. 😉

    Carla Cavalcante

    12/01/2011 at 11:40

    • Obrigada sua linda …rsss

      Sim, a liberdade é uma premissa. Ninguém é feliz com grilhões 😉

      Beijocas

      Babi Arruda

      13/01/2011 at 08:03


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: