A Esperança da Caixa de Pandora

Apesar de todo o caos ela existe!

Tudo ou nada

with 6 comments

Arrisque-se. Não tenha medo de se atirar de cabeça. Corra atrás dos seus sonhos, dos seus desejos, dos seus objetivos. Não deixe que o acaso tome as decisões do seu futuro. Empenhe-se em realizar o melhor, com confiança e convicção de que está fazendo a escolha certa no momento certo.

 

Aproveite a vida ao máximo e não tenha medo das mudanças. Elas estão aí para você sempre estar um passo a frente, evoluir. A vida é curta demais para ser desperdiçada com inseguranças e incertezas. Decida em ser feliz e não se importe com as mentes pré-conceituosas. Elas não são parâmetros de felicidade.

 

Liberte-se das amarras dos conceitos politicamente corretos. Eles foram criados para servir de cabresto e inibir o pensamento livre. Não confie nas pessoas possuidoras de verdades perfeitas, que se dizem cheias de escrúpulos, muito melindrosas ou então revestidas com o véu do puritanismo. Com certeza tudo isso não passa de adornos encantadores para desviar a atenção da cruel realidade: que eles não são tudo isso nem tudo aquilo.

 

Tenha em mente uma coisa: aprenda a andar na corda bamba, mas na hora de pular sempre escolha um lado, não fique eternamente se equilibrando, em cima do muro. O meio termo não funciona. É horrível, enfadonho, negligente! Esquisito demais para minha mente imediatista. Temos que ser objetivos: é tudo ou nada!

 

Até mesmo o nada é melhor que o meio termo. O nada é uma posição assumida, uma atitude definida em relação a alguma coisa (mesmo que a decisão tenha sido covarde, ainda é uma escolha!). O que não pode é se esconder atrás de “talvez”, “sei lá”, “pode ser”. Isso sim é um crime, um tiro no próprio pé.

 

O mundo está cheios de covardes assim, escondidos nas sombras de sorrisos carismáticos e palavras cordiais que vivem na base da enrolação. No fundo são pessoas inseguras que não acreditam na própria força e deixam para o destino a responsabilidade pelo seu futuro. Nada mais blasé.

 

Atitudes! Eu quero um mundo com atitudes! Eu quero ver pessoas com opiniões, argumentar com seres que pensam e não têm medo do que possa enfrentar porque sabem que é natural as consequências, mesmo que elas não sejam aquilo que esperam, mesmo que a lógica seja caótica e as perspectivas não reflitam aquilo que foi planejado.

 

Não tenha medo de ser feliz. Haja de forma inusitada, inesperada, diferenciada. Se o final não pode ser “felizes para sempre” não tem problema. Que se quebre a cara e comece tudo de novo mais uma vez. Já é alguma coisa. É um resultado.

 

Isso é vida, paixão, estímulo, desejo, realização em ser o que deveria ser e fazer consciente escolhas que definem o que você é como um ser humano totalmente capaz de buscar a felicidade plena. Nada te impede de conquistar aquilo que você quer. Tudo está em suas mãos, na sua mente e na sua força de ação!

Anúncios

Written by Babi Arruda

24/11/2010 às 14:21

6 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. concordo em gênero, número e grau.

    Neusa

    24/11/2010 at 16:39

    • Obrigada Neusa ^.^

      Beijos =*

      Babi Arruda

      25/11/2010 at 13:52

  2. Voltamos àquela celebre frase da música ‘A carta’, que sempre publico aqui como comentário: “a felicidade pode ser simples como um aperto de mão”…Pra que complicar, não? Ser feliz só depende de uma decisão nossa mesmo…Enfim, parabéns mais uma vez!

    Thiago Peixoto

    25/11/2010 at 16:45

    • Sim, uma decisão! A vida é feita de escolhas e decisões. Não podemos ficar parado no meio do caminho: tudo ou nada. O mais ou menos não satisfaz porque não existe meia felicidade…rsss

      Obrigada #meau =***

      Babi Arruda

      25/11/2010 at 19:41

  3. Quando você faz a metáfora do equilibrista lembrei imediatamente do filme O Equilibrista (Man On Wire, 2008), um documentário que conta a vida de Philippe Petit, que em 1974 decidiu atravessar as Torres Gêmeas andando sobre um cabo de aço. Em dado momento ele fala que uma vez dado os primeiros passos não há como voltar sem riscos. Tanto a outra margem quanto o abismo te seduzem. Há que se andar pra frente, mesmo que seja pelo não, como você mesma diz no seu texto.
    Me fez lembrar também um filme que vi recentemente chamado Mr. Nobody, que fala sobre fazer escolhas. Não uma (sim) ou outra (não), mas várias (talvez). Que uma escolha gera milhares de outras opções igualmente fascinantes.
    Viver não é simples. É complicado. Como a Matemática. Tem gente que leva jeito, tem outras que não, que precisam praticar mais. Mas é preciso praticar, ir viver.
    Excelente texto, como sempre.
    Um beijo!

    Pacha Urbano

    29/11/2010 at 20:47

    • Todos nós somos equilibristas nesta vida, mas uma coisa é certa: uma decisão negativa é melhor que nenhuma 😉

      Obrigada querido!

      Beijos

      Babi Arruda

      02/12/2010 at 12:54


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: