A Esperança da Caixa de Pandora

Apesar de todo o caos ela existe!

Urgências, intensidades e o fim do efêmero

with 5 comments

As pessoas confundem as coisas. Confundem urgências, intensidades com atropelos das palavras e a falta de seriedade com as coisas ditas e proclamadas. É infinitamente enfadonho ter que fazer uma leitura seletiva do comportamento de outrem. Separar o real, do possível e do imaginário. Muita coisa para um ser humano só.

Eu mal consigo lidar com minhas neuroses e ainda sou obrigada a fazer uma análise sócio-cultural-econômica das idiossincrasias alheias. Faça-me o favor, simplifique as coisas. Apesar de aparentar ter uma aptidão para psicologia, não sou muito amiga do Sr. Freud ou Sr. Jung. Eles me estereotipam demais.

Intenso nada tem a ver com o vazio das emoções. Ultimamente o ser humano está com uma mania chata de achar que o outro é um brinquedo novo que pode usado, abusado e depois de algum tempo pode ser largado ali no canto. Quando a sensação de novidade acaba, acaba também o fascínio. Simples assim, sem maiores dramas. Hoje acordei e decidi que o meu humano de brinquedo predileto não me diverte mais.

E onde foram parar o comprometimento e a responsabilidade por aquele que cativa? Ah sim, coisa boba isso. Um pequeno detalhe. Seres humanos não precisam cumprir as promessas. Tudo é muito efêmero e o dito naquele momento só é válido para aquele momento. Não peça mais que isso. O prazo de validade de uma frase é de no máximo algumas semanas. Não, é muito ainda. Alguns instantes, apenas!

Sim, isto é uma bravata contra a euforia desordenada daqueles que não conhecem suas emoções. Sinta, reflita e somente depois concretize em palavras, quando as certezas são certas e não há nenhuma possibilidade de um discurso “ahhh, não era bem isso, eu acho”.

Todos têm o direito de mudar de opinião. Não me tome por radical, porém esta mudança tem que ser coerente e não simplesmente acordei e tive uma epifania e agora descobri que não quero mais meu mundo assim. As coisas levam tempo para acontecer. As pessoas levam tempo para entender, assimilar, compreender e se acostumar.

As pessoas não são objetos, por isso não devem ser consumidas com prazos de validade. Elas são humanas e devem ser apreciadas em suas infinidades de qualidades e defeitos. Sim, defeitos, pois sem eles não haveria o encantamento da diversidade, do contrário. Ser perfeito demais não tem graça. Torna-se um conjunto de regras limitadas e andar dentro do limite dos sentimentos burocráticos é frio e distante.

Gosto de intensidade. Gosto de intimidade e de pessoas intimistas. Gosto de gestos acolhedores sem que isso invada meu espaço pessoal. Ter cuidados em relação a outra pessoa é necessário para suprir as urgências dos passionalistas, mas não necessariamente um ato dominado pela incoerência.

Cativar e manter cativo sem os grilhões e o cativeiro. Ser urgente e encantar com mimos sem que isso seja irresponsável e efêmero. As pessoas não são descartáveis. As pessoas são pessoas. Igualzinho a que você vê no espelho todos os dias.

Anúncios

Written by Babi Arruda

18/11/2010 às 10:49

5 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Bom, antes de demonstrar os seus sentimentos para alguém os seres humanos devem entender o que realmente sente, para não implantar ilusões no outro, mas o outro também não pode se entregar de corpo e alma logo no começo do relacionamento, para não se machucar, as coisas devem ser moderadas até que se tenha certeza delas.

    Carla Cavalcante

    18/11/2010 at 13:16

    • Concordo plenamente com vc, mas e se o relacionamento não for recente? E se um dia para a noite as coisas mudam sem aviso prévio? Se o dito fica vazio e o sentimento se torna efêmero num passe de mágica? Algo a se pensar 😉

      Bjs

      Babi Arruda

      18/11/2010 at 14:19

  2. Tem muito fela da puta sim por aí, mas também vejo muita gente carante se apaixonando perdidamente após qualquer afago, beijo ou noite de sexo.

    Pior, vejo gente mentindo sobre o que realmente sente para manter aquela pessoa “efêmera” ao seu lado. Aí é claro que dá merda.

    Eu quando saio com alguém, mesmo que for para o sexo de uma noite, faço questão de tratar aquela pessoa como alguém que realmente está comigo, nem que for só ali.

    Tem muita gente que usa sim, mas também tem muita gente que se deixa ser usada. Falo isso por ter estado dois lados da coisa e mesmo assim continuar errando, HAHAHAHAH!!!

    Alessio Esteves

    18/11/2010 at 16:58

    • Concordo plenamente com vc meu querido. Não tiro a razão de suas palavras. O mundo ultimamente anda extremamente efêmero e o mundo virtual chegou para alimentar as carências.

      Mas digo a vc que existe mta gente irresponsável que não tem comprometimento nas coisas que diz. E não estou falando de um ou dois encontros ou uma noite de sexo.

      Beijos =*

      Babi Arruda

      20/11/2010 at 18:50

  3. ALESSIO MEU FILHO, você disse tudo! HAHAHAHA

    Carla Cavalcante

    19/11/2010 at 01:07


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: