A Esperança da Caixa de Pandora

Apesar de todo o caos ela existe!

Erros, prepotência e mimos

with 12 comments

Um dos piores erros que podemos cometer é justamente não admitir os próprios erros. É muito triste termos a prepotência de achar que estamos acima de qualquer equívoco de atitudes e de concepções morais. Viver nessa utopia é no mínimo estúpido e só traz sofrimento quando finalmente a verdade é revelada.

O mundo não é moldado as nossas vontades e desejos, mas sim um reflexo das nossas ações e palavras. Ele é um espelho fiel das escolhas que fazemos e não pode ser culpado pelo desenrolar dos fatos. Se você não colheu aquilo esperado, a culpa é sua que não soube semear bons frutos.

Viver como se fosse o único ser humano existente na face da terra, ignorando e desprezando os sentimentos alheios não é uma boa forma de desenvolvimento interpessoal. Ninguém é capaz de viver sozinho. Somos todos interdependentes.

Por isso, procure anular qualquer tipo de atitude egoísta. Pare de achar que você é o centro do universo, o princípio do Big Bang. Manter uma postura soberba diante dos acontecimentos não trará soluções benéficas. Muito pelo contrário, só irá desencadear situações de conflito que poderia ser contornada com simples despojamento de vaidades.

Mas isso é muito difícil para a maioria das pessoas. O orgulho é colocado em primeiro plano como se ele fosse um bom conselheiro. Confunde-se humildade com humilhação e aí os egos ficam sensíveis a qualquer toque.

Lembre-se que um erro não justifica outro erro. Não é porque foi você injustiçada que também será injusta com as outras pessoas. Se todos pensarem dessa forma viveremos num completo caos, onde as leis e as regras são puros enfeites no dicionário, sem um significado imperativo na realidade.

Deixe os mimos de lado. A sociedade não vai passar a mão na sua cabeça e com certeza a vida não irá te tratar com carinhos e afagos se você não demonstrar um mínimo de cordialidade.

A arrogância mostra um estado de primitivismo da alma, estagnada na lama da mediocridade e escorada nas ilusões silenciosas de nosso ego. Menosprezar o próximo é um artifício para esconder nossas próprias fraquezas, praticamente uma confissão de incapacidade de mudar aquilo que temos de mais abjeto dentro de nós.

Falta um pouco de esforço por parte do ser humano em querer amadurecer. É mais fácil se apegar a mesquinharias e conceitos deturpados do que simplesmente evoluir. Para isso é preciso soltar as máscaras e colocar para fora as sombras da nossa desumanidade. E isso não é bonito, nem elegante, nem “socialmente correto”!

Anúncios

Written by Babi Arruda

31/03/2010 às 11:42

12 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Bravo! Simplesmente perfeito este texto!

    Heloisa

    31/03/2010 at 11:52

  2. Owwwnnn…obrigada *_* #lagriminha

    Babi Arruda

    31/03/2010 at 11:57

  3. O mundo não é moldado as nossas vontades e desejos, mas sim um reflexo das nossas ações e palavras.

    é. se achar o centro do universo nunca ajudou em nada. Pelo contrário. Sempre acabou com meus relacionamentos.

    Fazer o que. Seguindo em frente ^^

    @AMANDA_ARM

    31/03/2010 at 12:00

  4. “A arrogância mostra um estado de primitivismo da alma, estagnada na lama da mediocridade e escorada nas ilusões silenciosas de nosso ego”. Agradou-me muito ler isso justamente num dia em que estava pensando, digamos, a mesma coisa. Parece que, quanto mais “interativo” o mundo fica, mais as pessoas deixam para trás seus valores; deixam pra trás a sensibilidade e a essência dE ser humano. O Amor que tanto buscamos e discursamos sobre ele é trocado por qualquer coisa. Os interesses são mesquinhos; sentimentos verdadeiros são colocados em xeque, não há confiança, não há bom senso. Engraçado que eu, você, ou qualquer outro, mesmo sem querer, acabamos nos sujando nessa lama fedida, mas nosso caráter lava, eleva, supera e voltamos limpos para discursar sobre o que realmente é importante. É importante olhar pra trás, olhar pra si, olhar pra frente. É importante rever valores, parar de chamar de “personalidade” essa crosta de cultura burra empreguinada no EU MODERNO. Por isso sempre me volto ao passado e lembro das lições do meu pai. Vivia sem “redes sociais cibernéticas”, sem E-mail, sem “modernidade” e, mesmo assim, era um homem de vanguarda e cheio de amigos de verdade; e paz, e amor, e reconhecimento; e tudo isso que buscamos hoje pelo caminho errado.

    Obrigado por me dar esse prazer.

    Tenório Cavalcanti

    31/03/2010 at 12:10

  5. A questão não é nem achar o centro do universo Amanda, a questão está em “se achar” o centro do universo. É aí que mora o perigo 😉

    Babi Arruda

    31/03/2010 at 13:08

  6. Ahhhh Sr. Tenório Cavalcanti…meu poeta. Fiquei sem palavras. Muito obrigada por me dar esse prazer *__*

    Babi Arruda

    31/03/2010 at 13:10

  7. diva absoluta!

    Wanessa

    31/03/2010 at 14:35

  8. Estou nessa caminhada, mas é foda.

    Seu blog me faz pensar, acho que vou parar de lê-lo, hehehehehe…

    Alessio Esteves

    31/03/2010 at 14:53

  9. Vai parar nada Sr. Alessio. Busco você pela orelha =P

    Mas esta é a proposta do blog. Vc procurar suas esperanças dentro desta caixa 😉

    Babi Arruda

    31/03/2010 at 15:33

  10. o orgulho muitas vezes cega as pessoas e isso acaba prejudicando…

    mais um belo texto Babi, Parabéns…

    Edy

    01/04/2010 at 19:46

  11. O orgulho é um péssimo conselheiro!

    Obrigada querido ^.^

    Babi Arruda

    06/04/2010 at 09:45

  12. Parabéns pelo blog. Um dos mais lindos que já lí.

    Eufrázio

    01/05/2010 at 11:54


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: