A Esperança da Caixa de Pandora

Apesar de todo o caos ela existe!

Estações

leave a comment »

estações

Não sei mais o que sou

Não me reconheço mais

Eu sou a morte das tuas manhãs

Sou a luz que paira nos teus cabelos

Sou folhas secas na alvorada

Sou primavera chegando

Eu sou a vida

A vida sem medos.

Mudanças

De certo

O eu que existia se dizimou, como uma gota de orvalho

A chuva cai, o sol se abriu, logo veio o arco-íris para iluminar meu ser triste

Encontrar-me-ia

Em algum lugar, não sei

Sou uma caixa em reciclagem

Um grito de súbito, torna-me um ser inexplicável e inexistente.

Um tapa não adiantou, acho que esqueci o quanto doeu.

Não voltarei mais ao antigo lugar.

E esqueço tudo por súbito através de uma fragrância chamada tempo,

Isolada no meu subconsciente.

Ser eu por mim mesma

Ainda acredito nessa teoria estúpida

Ainda sigo esta regra

Ah, tristeza

Caminhar pelas ruas e não encontrar a direção

Achar o paraíso e ficar desconte

E por fim, a neve veio

E seus flocos de esperança cobriram minha face em lágrimas

Lágrimas de alívio.

 

*Publicado em 29/05/2009

Anúncios

Written by Babi Arruda

27/10/2009 às 18:22

Publicado em Poesias

Tagged with , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: