A Esperança da Caixa de Pandora

Apesar de todo o caos ela existe!

RPG também é educação

leave a comment »

dados

Lobisomens, vampiros, samurais, monstros, gigantes, hidras de sete cabeças. Parece loucura, mas são apenas estórias de RPG, no qual a fantasia pode unir a diversão com aprendizagem

  

Imagine que você é um guerreiro e que está com um grupo de amigos composto por um mago, um ladrão, um paladino, um clérigo e um ranger. Vocês estão prestes a enfrentar um bando de Orcs e Goblins nas proximidades da cidade de Water Deep. O Mestre então pede para todos do grupo rolar suas iniciativas, que dependendo do sistema pode ser um d10 ou um d20.

 

Imaginou? Ou não está entendo nada do que eu estou falando?! Muita calma caro leitor, este é um pequeno exemplo de um dos cenários fantasiosos do RPG – Role Playing Games ou Jogos de Interpretação, no qual vários jogadores interagem na história contada por um mestre, utilizando vários tipos de dados (d4, d6, d8, d10, d12, d20), livros e planilhas com a descrição dos personagens incluindo atributos físicos, poderes extra-humanos e etc.

 

Mestre?! Não se preocupe, não é nenhum líder biruta de seita, é apenas a pessoa que vai ambientar os jogadores na história e no cenário, passando uma cena de terror, conflito, situações que exigem uma escolha por parte dos jogadores, por fim, criando o esqueleto do enredo, tornando-a interessante.

 

A palavra chave para o RPG é a criatividade, pois nela todos são participantes ativos da aventura, buscando através da cooperação, soluções para os enigmas propostos. Você é ao mesmo tempo o ator, o diretor e principalmente, o roteirista.

 

“O RPG tem uma temática rica onde você é parte dela, criando, improvisando o que vai acontecer”, esclarece Rodrigo do Nascimento, jogador e mestre de RPG.

 

O RPG foi criado pelos hippies nos anos 70, nos Estados Unidos, para ensinar, de forma mais fácil, história para os filhos. Ele chegou ao Brasil em 1985 pela série Aventuras Fantásticas, da Editora Marques Saraiva. E hoje em dia, o conceito de utilizar o jogo não apenas para diversão e sim para educação está voltando.

 

Como diz Marcos Nascimento Santiago, também jogador e mestre, RPG é cultura, pois faz com que a pessoa não só use a imaginação, mas também que ela interligue com os fatos históricos.

 

Por isso, alguns autores vem se dedicando a escrever livros para educadores, contando como eles podem utilizar o RPG em sala de aula para facilitar o aprendizado.

 

Por exemplo, o livro Saindo do Quadro, do psicólogo Alfeu Marcatto, propõe uma técnica que derruba alguns mitos da educação acadêmica, fugindo da monotonia dos manuais pedagógicos. Com metodologia baseada nos jogos de RPG, oferece subsídios para que professores de qualquer disciplina transforme as aulas muito mais divertidas e produtivas.

 

De acordo com Marcatto, o RPG facilita ao professor demonstrar a importância, na vida real, de um determinado conteúdo didático, através do despertar da atenção. Em outras palavras, é trazer para a sala de aula o prazer de estudar e aprender.

 

“Os professores ficam maravilhados com os resultados alcançados com o RPG, mas infelizmente reclamam muito da falta de tempo e dinheiro, para dedicar-se à criação de aventuras para suas aulas”, conclui Marcatto, que diz que há muitas escolas já utilizando o método, mas devido ao mesmo problema de tempo e recursos financeiros, o sistema não é usado como gostaria.

 

Outro problema no qual esbarra o RPG é a divulgação. Ele é muito mais difundido nos Estados Unidos e na Europa do que aqui no Brasil. “Sem apoio de uma grande editora, o RPG não vai crescer”, argumenta Rodrigo.

 

SISTEMAS E TIPOS DE RPG

Hoje em dia existem vários tipos de RPG. Porém, o mais tradicional é o RPG de mesa, no qual se utiliza livros, planilhas e dados. E dentro dele há uma variedade de sistemas como GURPS, Daemon, D&D, 3D&T, Storyteller, entre outros.

 

Com certeza o tipo mais famoso é o D&D – Dungeons & Dragons – onde o cenário predominante é fantasia medieval. Foi lançado na década de 70 pela TSR, primeira empresa especializada em RPG do mundo. Mais tarde, ela seria comprada pela Wizard Of The Coast que atualmente tem os direitos sobre essa franquia.

 

D&D usa o sistema D20 e é o RPG mais jogado no mundo. Até mesmo vários jogos de computador utilizam esse sistema, no qual permite a personalização para qualquer tipo de cenário.

 

Outro também bem conhecido, principalmente aqui no Brasil, é o Storyteller, no qual compreende os cenários de Vampiro: A Máscara e Lobisomem: O Apocalipse.

 

Conheça agora alguns tipos de RPG disponíveis no mercado para sua diversão e entretenimento:

 

Aventura Solo

 

Nesse caso a aventura é apresentada em um livro, onde o jogador segue um roteiro diante das possibilidades oferecidas. Em geral, é uma versão simplificada do RPG tradicional e possui uma narrativa não-linear, mas de fácil entendimento.

 

Você constrói um personagem assim como faria em um jogo comum. A diferença é que não existe uma interação com outros jogadores, por isso, os resultados de suas ações são descritos no próprio livro. O livro segue com história até o momento que o personagem precisa fazer uma escolha. Depois de feita a opção, o jogador é indicado a ir até uma página específica, onde estarão descritos os acontecimentos posteriores.

 

Live Action

 

Nessa modalidade o jogador interpreta um personagem como se fosse realmente um ator de teatro, dispensando papéis e dados. Além de improvisar as cenas do jogo, a marca registrada do Live Action é a caracterização do jogador com roupas típicas medievais. Ou seja, ele usa uma fantasia de forma a ficar mais próximo da proposta da história. A organização do Live Action fica por conta de um mestre narrador que aplica as regras e dirige a história.

 

RPG Eletrônico

 

Atualmente esses são os jogos que mais fazem sucesso: os famosos jogos de videogame. Ele é bem parecido com o RPG tradicional, pois possui interação com outros personagens e uma história. O cenário também é baseado em fantasia medieval e o grande destaque deste gênero é o Final Fantasy.

 

MMORPG – Massively Multiplayer Online Role Playing Game

 

MMORPG é um termo em inglês para RPG online para múltiplos jogadores. Febre no mundo inteiro, principalmente aqui no Brasil, as lan houses ficam lotadas de jogadores que acessam os servidores para encontrar outras pessoas para fazerem negociações, trocas, tudo que se possa imaginar para deixarem seus personagens mais fortes para derrotar monstros de todos os tipos.

 

Os mais requisitados são Ragnarok e o World of Warcraft. 

 

RPG Online

 

No RPG Pnline os jogadores se encontram na net através de programas de mensagens instantâneas como ICQ, MSN, MiRC e usam um software que apresenta as fichas, dados, entre outras coisas que simulam o jogo.

 

Esse modo de jogo é basicamente uma cópia fiel do RPG tradicional, o que muda é a forma de interagir com os outros jogadores.

 

O software utilizado é o RRPG v.1.27, que pode ser baixado gratuitamente no site www.alysson_rpg.oi.com.br ou no www.rrpgsite.cjb.net .

 

*Publicado em 31/05/2008

Anúncios

Written by Babi Arruda

26/10/2009 às 18:59

Publicado em Reportagens

Tagged with ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: